Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Centro Holístico de Coimbra

ENERGIA&MOVIMENTO Avenida Calouste Gulbenkian Coimbra

Centro Holístico de Coimbra

ENERGIA&MOVIMENTO Avenida Calouste Gulbenkian Coimbra

Musicoterapia

 

ENERGIA 6.jpg

 

A Musicoterapia é um processo terapêutico, através do qual o musicoterapeuta, ajuda a pessoa a ligar-se a si mesmo através de uma relação de ajuda com recurso a experiências musicais que acontecem durante as sessões.

Estas são centradas nas necessidades e potencialidades específicas da pessoa, com o objetivo de criar condições facilitadoras para a mudança desejada. É uma intervenção integral que tem em conta a unicidade da pessoa ao nível mental, emocional, social, físico e espiritual.

Baseada numa observação continuada, decorrente de um processo relacional, a intervenção musicoterapêutica cria condições para promover a expressão, a empatia, a escuta, a aceitação, a aprendizagem, a comunicação, a relação, a mobilização, a organização, entre outros aspetos facilitadores do desenvolvimento e do funcionamento pleno da pessoa.

 

A quem se destina a musicoterapia?

A Musicoterapia destina-se a todas as pessoas (crianças, jovens, adultos e idosos), não se limitando a áreas de intervenção amplamente reconhecidas pela investigação, como é o caso das perturbações do espectro autista e outras do desenvolvimento, deficiência física e cognitiva.

A musicoterapia, para além das intervenções específicas na área da saúde mental para pessoas que tem dificuldades num contexto verbal de terapia, permite a manutenção do bem-estar para pessoas saudáveis, bem como o envolvimento activo e mobilizador para pessoas que padecem de doenças crónicas. 

A sessão de musicoterapia

A  sessão de musicoterapia pode ser aplicada individualmente (de um para um) ou em grupo (mínimo de três).

A sessão de musicoterapia desenvolvem-se através de actividades centradas nas necessidades do cliente, nas suas possibilidades e preferências musicais, na sua história pessoal e sonoro musical, no tipo de experiencia musical, no contexto relacional (solo, duo ou grupo), no tipo de instrumento, no papel a despenhar na execução musical e no estilo musical.

 

Benefícios da musicoterapia

A musicoterapia não exige qualquer formação musical, ele é uma intervenção na qual todos podem beneficiar dela. Entre outros benefícios podemos verificar:

       Melhoria da qualidade de vida

       Desenvolvimento e activação dos dois hemisférios cerebrais

       Desenvolvimento do conhecimento de si

       Melhoria da capacidade de recordação e memória

       Melhoria da consciência e concentração

       Controle da ansiedade e redução da tensão física e mental

       Criação das condições favoráveis para a aprendizagem

       Criação de oportunidades para desenvolver a liderança

       Auxilio na comunicação e na expressão verbal e não-verbal

       Promoção do desenvolvimento da fala, da linguagem e da comunicação

       Actuação nas questões de comportamento

       Facilitação da expressão de emoções 

       Promoção do desenvolvimento da criatividade

      Tomadas de decisão

      Regulação dos desconfortos para aqueles que estão em ambiente hospitalar ou em   internamento

       Aumento da autoestima

       Promoção da socialização

       Facilitação do relaxamento

       Controlo da dor

       Desenvolvimento de competências psicomotoras e de coordenação motora

O que pode acontecer numa sessão de musicoterapia?

Todas as sessões de musicoterapia são diferentes, pois emergem situações e experiencias diferentes no aqui e agora da experiencia da pessoa e do grupo, e são realizadas em espaço terapêutico que possibilite as diferentes experiencias musicais.

No entanto, existe um formato que orienta os pressupostos iniciais da intervenção em musicoterapia.

Deste modo, o terapeuta irá procurar um conhecimento inicial, a dois, para identificar com a(s) pessoa(s) as suas necessidades, o motivo porque procura a musicoterapia, o percurso das experiências “corporo-sonoro-musicais”, as preferências musicais, entre outras.

Este inicio começa com um simples processo de conversação, quando é possível o verbal, pois nas áreas das perturbações da comunicação, a musicoterapia é usada como terapia não-verbal.

Estas descobertas iniciais são o mote para o trabalho terapêutico subsequente.

Noutros momentos podemos iniciar com as experiencias musicais para a facilitação da expressão emocional e de sentimentos e identificação de novas questões do percurso e da experiencia da pessoa(s).

Equívocos sobre a Musicoterapia

As pessoas que porcuram musicoterapia presicam de ter competências musicais?

Não! A experiencia corporo-sonoro-musical é inerente a todas as pessoas. E partindo desta, e da relação estabelecida, que a musicoterapia pode beneficiar todas as pessoas.

 

Certos tipos de música são mais terapêuticos do que outros?

Todos os estilos de música podem ser úteis para efetuar a mudança na vida de um cliente. As preferências individuais, circunstâncias e necessidade de tratamento, e os objetivos do cliente ajudam a determinar os tipos de música que se pode utilizar.

Quem é o musicoterapeuta?

O musicoterapeuta é um terapeuta com formação, prática clínica e supervisão em musicoterapia.

De acordo com a sua escola de abordagem terapêutica, o musicoterapeuta tem como objectivo facilitar o desenvolvimento e funcionamento pleno da pessoa, apoiando-o na experiencia e vivencia que emerge da relação e das experiencias musicais.

 

No nosso centro, esta terapêutica e formação está a cargo da Dra Susana Maria Teixeira, Licenciada em Psicologia Clínica e outras terapeuticas holísticas.

Qualquer informação desejada entre em contacto connosco para:

 

infor.energiaemovimento@gmail.com


 


 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.